Textos – Soneto da Guanabara

Amo eu o Mar

Moro na cidade

Que fez morada no Mar

Mar que na cidade não há

 

Há praia

Que encosta onde já foi Mar

Morada dos restos da cidade

Que a chuva se encarrega de levar

 

A chuva cai lembrando

A cidade é o homem

Seus compromissos

Sem tempo para amar

 

E agora eu, homem da cidade

Sem tempo e sem compromissos…

Olho triste para o azul que não vejo

Da cidade que fez sua morada

Justamente no que já foi Mar

Tem alguma dúvida, ou quer compartilhar uma dica? Deixe seu comentário!