Viagens – 5 Trilhas (com vistas incríveis) no Rio de Janeiro e Niterói

O Rio de Janeiro é mundialmente conhecido por seus pontos turísticos mais famosos como a praia de Copacabana, o Pão de Açúcar, o Cristo Redentor, assim como pelo carnaval, e outros clichês. É sabido também que a cidade maravilhosa, purgatório da beleza e do caos, é um excelente destino para quem curte a natureza, embora o destaque fique quase sempre com as praias.

Ocorre que a capital fluminense e sua vizinha Niterói são excelentes lugares para quem pratica trekking. Existem muitas trilhas nessas cidades, que contam com alguns parques e uma das maiores florestas urbanas do mundo, inclusive, recentemente foi inaugurada no Rio a trilha Transcarioca, que tem aproximadamente 180 km de extensão, e permite aos aventureiros atravessar a cidade inteira pela mata, de um extremo a outro.

Selecionamos cinco locais para se aventurar no Rio e em Niterói. Lembramos que para fazer qualquer trilha, mesmo as consideradas fáceis, é necessário ter algum preparo físico. Recomendamos o uso roupas leves, calçado confortável e adequado para o tipo de terreno, filtro solar, repelente, assim como levar água suficiente para a hidratação e um lanche leve. Ah, não deixe de carregar uma sacola para recolher todo seu lixo e jamais alimente ou toque nos animais que encontrar.

Rio de Janeiro

Pedra Bonita

Começamos por uma das trilhas mais famosas da cidade e, por conta disso, também uma das mais cheias. O caminho se inicia ao lado de uma guarita que fica localizada no acesso ao estacionamento da Rampa de Voo livre da Pedra Bonita.

A caminhada é agradável e a maior parte é em mata fechada (ou seja, com sombra). A duração, em ritmo médio, fica em torno de 40 minutos e o local é sinalizado adequadamente, bem como não tem bifurcações.

O platô no topo é bem grande e de lá é possível avistar, de diferentes pontos, a Zona Sul, a Barra da Tijuca e a Pedra da Gávea.

Quando descemos aproveitamos para passar na pista de asa delta e parapente. Embaixo da rampa há uma “arquibancada”, onde é possível sentar para ficar observando o pessoal decolando. Para os mais aventureiros existe a possibilidade de contratar vôos no local.

Morro da Urca

A trilha que sobe o Morro da Urca é de nível fácil. O acesso é pela Pista Claudio Coutinho, e seu início é pela pedra (a entrada é um pouco escondida). Penso ser esta a mais recomendada para iniciantes, pois o percurso pode ser completado em aproximadamente 30 minutos e há a opção de descer pelo bondinho.

A caminhada é agradável e circunda o morro, oferecendo tanto uma  linda vista da Urca, com o Aterro do Flamengo e Centro ao fundo, quanto da Praia Vermelha. O final da caminhada é no complexo turístico do Pão de Açúcar, onde há lanchonetes e banheiros. Caso se deseje descer pelo bondinho, ou aproveitar para ir ao Pão de Açúcar, é possível comprar ingressos a preços reduzidos.

Pico da Tijuca e Tijuca Mirim

A Minha trilha favorita no Rio é a do Pico da Tijuca, cujo acesso é pela entrada principal do Parque Nacional da Tijucana pracinha do Alto da Boa Vista (Praça Afonso Viseu). Ao adentrar no parque logo nos deparamos com a  Cascatinha de Taunay, onde já vale dar a primeira parada.

 

Pegando a Estrada da Cascatinha (que é bem sinalizada) seguimos para o estacionamento onde se iniciam as trilhas dos picos. Já no começo a sensação é de estar distante da cidade. Na última vez que estivemos na Floresta da Tijuca havia um forte nevoeiro no Rio de Janeiro, o que fez com que nos sentíssemos em um filme de suspense. A trilha leva aproximadamente 50 minutos e é quase toda em mata fechada.

Como o Pico da Tijuca fica a 1.022 metros de altitude (ponto mais alto do parque e segundo da cidade) tivemos o privilégio de ultrapassar as nuvens e nos deslumbrarmos com o visual lindíssimo.

Aproveitamos para também fazermos a trilha de Tijuca Mirim, que é uma bifurcação da do Pico e leva somente uns 10 minutos adicionais.

Niterói

Costão de Itacoatiara

O acesso para a trilha do Costão é pela Rua das Rosas em Itacoatiara, o início é em uma cabine do Parque Estadual da Serra da Tiririca. Percorre-se o caminho em aproximadamente 30 minutos, contudo há um trecho de “escalaminhada” (no qual é necessário se apoiar com braços e pernas nas pedras). Aproximadamente metade da trilha é descampada, por isso o ideal é fazê-la pela manhã cedo, o que, inclusive, permite curtir um pouco a praia depois de descer.

Parque da Cidade

O último local dessa postagem na verdade são rampas de asa delta e parapente e mirantes. É possível acessar a pista do parque da cidade de carro, não havendo necessidade de caminhar. De uma das pistas é possível avistar a Região Oceânica de Niterói e da outra, a Baía de Guanabara e Rio (com direito ao Pão de Açúcar, Corcovado, Dois Irmãos e Pedra da Gávea). Na minha opinião trata-se do pôr do sol mais bonito da região.

Se você não tiver nenhuma experiência com trilhas vale procurar algum amigo que tenha ou contratar um guia. Fizemos as trilhas da Pedra Bonita e Pico da Tijuca com a Trecker Friends e recomendamos o serviço.


Mapa

Tem alguma dúvida, ou quer compartilhar uma dica? Deixe seu comentário!